Cerâmica Vermelha pintada

As pastas são normalmente depuradas e arenosas. A cozedura é sempre oxidante e a temperaturas não muito elevadas.
Designação:

Urna de Cerâmica vermelha, pintada e estampilhada. 

Descrição:

Urna com tampa de orelhas perfuradas, de corpo ovóide, com decoração estampilhada, pintada e coroplástica. Os motivos estampilhados são de contorno losangular, que alternam com bandas e retículas pintadas de cor vermelha escura.

Cronologia

II Idade do Ferro

Procedência
Garvão 
Depósito

Museu Nacional de Arqueologia

Breve bibliografia online:

SILVA, GOMES (1992) Proto-história de Portugal, Universidade Aberta, Lisboa.

Fonte de Imagem:
www.matriznet.dgpc.pt

 

 

Designação:

Vaso de Cerâmica vermelha, pintada e estampilhada. 

Descrição:

Vaso de cerâmica pintada, de forma bitroncocónica, colo estreito e ausência de bordo. O fundo é em ônfalo. Apresenta-se inteiramente revestido de faixas horizontais pintadas a cor ocre-vinoso.

Cronologia:

II Idade do Ferro

Procedência:
Povoado Azougada
Depósito:

Museu Nacional de Arqueologia

 

Breve bibliografia online:

ANTUNES, Ana Sofia Tamissa (2008)“CASTRO” DAAZOUGADA(MOURA, PORTUGAL):PERCURSOS DO PÓS-ORIENTALIZANTE NO BAIXO GUADIANA

Fonte de Imagem:

Leandro Tristão

 

Designação:

Urna de Cerâmica vermelha, pintada e estampilhada. 

Descrição:

Vaso de cerâmica pintada, de forma bitroncocónica, colo estreito e ausência de bordo. O fundo é em ônfalo. Apresenta-se inteiramente revestido de faixas horizontais pintadas a cor ocre-vinoso.

Cronologia

II Idade do Ferro

Procedência:
Alcácer-do-Sal
Depósito:

Cripta arqueológica de Alcácer do Sal

 

Breve bibliografia online:

SILVA, GOMES (1992) Proto-história de Portugal, Universidade Aberta, Lisboa.

 

Fonte de Imagem:

Leandro Tristão